Tuesday, March 20, 2012

Paredão em Paris


Na onda da mediocridade das relações do insuportável Big Brother, fico observando a importância que é dada ao confronto maior: ao paredão. É triste ver aquele papo poético e intelectual para justificar o injustificável. Para criar importância ao que é totalmente irrelevante. É repugnante ouvir citações de autores históricos inseridos em um contexto tão absurdamente pequeno. Infelizmente falta dizer que a vida não é um BBB, que a gente não tem direito a 30"para pedir votos pelo perdão ou para continuar vivos. Não podemos apenas dizer "desculpa errei, mas amanhã eu acerto".
A vida nos leva a confrontos definitivos. A confronto de atitudes e pensamentos que traçam novos rumos. Não podemos, a exemplo do BBB, apenas ganhar no paredão e continuar vivendo como se sempre teremos a carta na manga para corrigir nossos equívocos, assim como não podemos perder e sair da casa para recomeçar a vida de forma real. Portanto precisamos estar sempre de olhos colados no que o destino nos coloca em nossa frente a cada segundo. Simplesmente para aproveitarmos de forma única aquilo que poderá ser uma experiência inesquecível, inteira, completa e finita. Sim, descobrir que tudo pode acabar de uma forma definitiva é descobrir que o limite existe muito além desse paredão frouxo que assistimos.
Queria ir para Paris, mas todos que me conhecem sabem que odeio esse lugar. Acredito que existam lugares muito mais amáveis, emocionantes, excitantes e convidativos. Mas se eu me esforçar poderei descobrir esse Paris que todos veem, menos eu. Nunca pensei, mas talvez o problema é meu ou as escolhas de companhias que fiz ate hoje. Essa pode ser a resposta desse paredão. Alias, um paredão em Paris poderá ser inesquecível. Preciso descobrir qual numero para votar certo. Era isso. Entendeu ou precisa desenhar?
Bj no coração.

2 comments:

FOXX said...

ah, vem pra natal me conhecer então...

| Diego Dellano said...

Vamos? Eu, Você e Paris?

Se Bem que NATAL, já ta servindo...

Bora? DÚVIDOOOO